sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Fui abduzida!

Isso explicaria o meu sumiço repentino. Mas não, não é verdade, eu só quis fazer um pouquinho de suspense.
O que aconteceu na verdade foi que aquela maldita luzinha ADSL resolveu não dar o ar da sua graça mais uma vez (eu não vou com a cara dessa luz, e pelo visto ela também não vai com a minha!), o que acabou me deixando por quase duas semanas sem internet. Dessa vez o problema foi bem maior que o anterior, teve problema na linha, na fiação, não sei direito o que aconteceu, eu não entendo nada disso e não me esforço muito pra entender, só sei que fiquei sem internet e não gostei nada, nada disso! Meu vizinho que ao contrário da minha pessoa, entende e gosta muito dessas parafernálias "computadorísticas", passou os últimos três dias desvendando o problema e ontem a noite ele resolveu, pelo menos uma parte, ele ainda vai ter que reformatar (ou algo assim) o meu computador e sabe-se lá mais o quê.
Enfim, fiquei incomunicável com meus amigos blogueiros, e todos devem estar se perguntando por que não fui numa lan house pra postar no blog, etc. O problema é que eu não gosto de postar em uma lan house, é muito público, não sei, não me sinto a vontade, parece que estão todos me olhando e quando me olham eu não consigo escrever, então não dá. Eu até acompanhei os comentários no blog pelo celular, e não os respondi, nem visitei os outros blogs porque além de ser bem incomodo escrever com aqueles números, nem todas as páginas de blogs que eu digitava abriam e algumas delas não abriam por completo. Então eu decidi esperar, resolvi que eu ia tentar fazer outras coisas pra me distrair enquanto a minha querida luzinha não acendia. E posso dizer que eu me diverti bastante, nem mais, nem menos do que me divirto escrevendo no meu blog e lendo os blogs dos meus amigos, foi uma diversão diferente, é muito bom ter outras opções.
Eu devorei um livro lindo que fala sobre a busca da felicidade, do equilíbrio, sobre saber o que te faz bem, um livro realmente incrível, inspirador. O nome do livro é Comer, Rezar, Amar de Elizabeth Gilbert, uma mulher que aos trinta anos com uma vida aparentemente perfeita se divorcia, passa por um relacionamento fracassado e por uma depressão bem forte, depois disso tudo resolve fazer uma viagem de um ano pela Itália, Índia e Indonésia para poder descobrir coisas sobre si mesma, busca o prazer na Itália, a devoção na Índia e o equilíbrio na Indonésia, e foi na Indonésia que encontrou um amor inesperado. Uma história muito divertida, cheia de descobertas, é realmente inspiradora. Li cada palavra como se estivesse vendo e vivendo tudo aquilo.
E foi inspirada nesse livro que resolvi fazer uma coisa que sempre tive vontade de fazer, mas nunca tive coragem ou nunca dediquei a necessária atenção. Eu sempre quis contar uma história, não necessariamente a minha história, mas uma história criada por mim, com o meu dedo ali. Não sou escritora, mas esse blog (e o antigo blog) me ajudaram a exercitar o meu "lado escritora", me ensinaram a viajar por esse mundo que antes era tão distante de mim, mas que agora parece que o conheço desde que nasci. E eu resolvi escrever um conto, um conto de Natal (muito propício!!), é que eu já vinha reparando na variedade de filmes que são exibidos pelas emissoras de TV nessa época, geralmente são feitos com um apelo infantil, cheios de comédia e de contos de fadas. Mas eu queria fazer uma coisa diferente, mais realista, uma história talvez mais possível. Não que eu tenha nada contra as lendas sobre o Natal e o Papai Noel, por muito tempo eu acreditei em todas elas, lembro que eu me esforçava ao máximo pra ficar acordada na noite de Natal pra tentar pegar o Noel com a boca na botija, e até hoje eu ainda acho bem divertida toda essa história, vias meus primos menores escreverem cartas e achava muito engraçado, mas em alguns momentos eu sou contra, acho tudo muito depressivo, sei lá, mas não quero falar sobre isso.
O meu conto não fala sobre isso, ele não é “deprê”. rs! E eu estou tão feliz por está conseguindo escrevê-lo que em cada vez que eu paro me pergunto por nunca fiz isso antes! Talvez esse conto seja o meu presente de Natal desse ano. Valeu Noel!
“No mais estou indo embora baby, baby!”
E vou ficando por aqui, feliz por ter me deliciado mais uma vez com esse blog!!

Um grande beijo e até a próxima!!

9 comentários:

SGi/Sonia disse...

Ei Maluquinha!
Casa balaio de gato, viiiiiixe que moramos no mesmo balaio, minha casa é minuscula, moram 4 pessoas que tem mania de espaço, já imaginou?

Cadê o conto?
vai deixar em suspense?

Ai meu Deus do Céu, mata a véia de curiosidade!

Beijins com felicidades:*

Jhon Bert disse...

Que bom que o botaosinho voltou a acender. [:)]
Morri de saudades, ok.
Que bom que voltou, mal posso esperar pra ver esse seu conto. Veremos se voc~e é realmente uma oua escritora. rs
Brincadeira, já sabemos que você é.
xD
abraços e não volte a sumir

Conde Vlad Drakuléa disse...

Heuehuheuhe, bem que eu desconfiei que era isso!!! Vou te mandar um patuá vampiro para proteções computadorísticas, heuheuheuhe... Não fique preocupada, minha fidelidade à ti é imune a adsls e tais! Monique minha bela, fico tão contente que estejas escrevendo... Sabe acabo de vir do blog do Átila Siqueira, que publicou um livro, que versa sobre literatura fantástica, chamado "Vale dos Elfos 1", excelente épico no melhor estilo aventureiro-mitológico de fantasia... A URL dele é http://atilasiqueira.blogspot.com/
Espero que gostes... Então, vês que não é nada difícil realizar alguns sonhos? Quem disse que não podes escrever e publicar também, um livro teu, com o "teu dedo", o qual eu terei o maior prazer em comprá-lo para ler e me deliciar muito com tua querida prosa que eu particularmente acho muito rica e bela! Então vá em frente, minha amiga, eu aqui torço por ti, e tem uma blogueira amiga minha que me deu o endereço de um site que publica na WEB, histórias e crônicas, aqui vai o endereço do blog dela: http://janalauxen.blogspot.com/
Vale a pena conhecer, ela escreve de forma mui gostosa também como tu...
Então, não esquenta com esses PCs da vida, e mãos à obra, qualquer ajuda que precisares farei o melhor que puder para te ajudar ok?
E cuidado com os UFOS, as vezes eles abduzem mesmo, o Igor certa vez...
- Conde, olhe que luz verde estranha essa aí encima de vosso vampírico cocuruto!
- Luz??? Que... ARGH! TUM!
- He,he,he, ele desmaiou de medo, era apenas uma lanterna que eu colei na poltrona dele, heuheuhe, esses vampiros doidos.... Um beijo D. Monique, fui....

Pelos caminhos da vida. disse...

Olá amiga!

Que bom que resolveu seu problema com a net e voltou,mas não é só com vc,aqui em casa tb esta +ou- assim,estou levando no braço,ontem não conseguia entrar no seu blog,tentei varias vezes,hoje deu certo.

Bom dia!

Tem selinho da amizade la para vc.

beijooo

Deisy disse...

as vezes da preguiça de postar no blog, mas depois q faço tbm fico me perguntando pq n fiz antes... =D

bom fim de semana
bjss

Tiffany disse...

aaa eu lembro da história dessa luzinha.

xD

Nina disse...

Devorou um livro?? entao tá desculpada pela ausência :)

Fiona de Bourbon disse...

Oi, querida!
vim conhecer teu cantinho e agradecer seus comentarios sempre tão carinhosos. Bigada. Percebi que temos muitas amigas virtuais em comum. Adorei!

Li esse livro a um tempo atras e me identifiquei muito com a autora. Amei a escrita dela, o bom humor.

Virei mais vezes aqui ;)
beijoo

Joaninha Bacana disse...

Oi Monique,
Adorei a idéia do conto!!! Quando puder, publica ele para a gente curtir também :o)
A propósito, tem um livro muito legal com contos de Natal da Maeve Binchy (This Year It will be Different and other stories): alguns tristes, alguns alegres, mas todos no estilo 'a vida como ela é': dá gosto de ler :o)))
Beijos,
Angie
P.S. Adorei sua visita no meu blog: volte sempre :o)))